Para que servem finanças pessoais?

Enviado em sex, 12/04/2020 - 00:00
Para que servem finanças pessoais?

As finanças pessoais servem para manter o estado financeiro de uma pessoa ou família sob controle. Para ter saúde financeira, é preciso controlar as receitas e as despesas, sabendo exatamente o quanto se ganha e o quanto se gasta, além de garantir que haja uma reserva para os momentos de emergência. 

Uma boa maneira de manter suas finanças pessoais em dia é tratar seus rendimentos como se fossem o orçamento de uma empresa e aplicar os mesmos conceitos financeiros na vida pessoal.     

Como organizar as finanças pessoais?

Para organizar as finanças pessoais, um bom começo é fazer uma planilha. Especifique todo o dinheiro que entra (receitas) e tudo o que sai (despesas). Na lista de despesas, separe o que são gastos recorrentes, como luz, água, telefone, aluguel, condomínio, internet, assinaturas de serviços etc., e gastos variáveis, como vestuário, lazer, ítens para a casa etc. 

Lembre-se: cartão de crédito não é uma despesa, mas um meio de pagamento, ou seja, ele não deve ser uma linha em sua planilha. Cada uma das compras que estiver em sua fatura precisa estar especificada na sua lista de gastos. 

Seu total de receitas tem de ser maior que o total de despesas. Caso isso não aconteça, estude o que pode ser cortado imediatamente. 

Como organizar as finanças no caderno?

O caderno pode ser um ótimo aliado para ajudar a organizar as finanças. Anote todos os gastos do dia, do chiclete à compra no supermercado. Para tornar a tarefa mais leve, você pode usar canetas coloridas diferentes para cada tipo de despesa. Por exemplo, transporte em verde, vestuário em azul, alimentação em amarelo… assim fica bem mais fácil de visualizar quanto está indo para cada área. Ao fim do dia, some cada uma das categorias. Separe uma página para juntar todas essas informações de cada dia e, no fim do mês, some tudo. 

Acredite, o caderno de finanças vai ajudá-lo a visualizar quais são os vilões do seu orçamento. Às vezes, aquele cafezinho inocente no fim do dia pode representar uma boa parcela dos seus gastos com alimentação. 

Caso você não seja adepto do papel e caneta, você pode “transferir” o caderno para um arquivo no celular ou no computador ou ainda baixar um aplicativo de finanças pessoais no celular. Teste o que melhor se adequa à sua rotina, mas não deixe de anotar.

Como recuperar as finanças pessoais?

Não tem segredo. A única maneira possível de recuperar as finanças pessoais é com disciplina. A boa notícia é que o cérebro gosta de hábitos, então, com o tempo, vai ficando cada vez mais fácil manter o controle. Se nos primeiros dias, você terá de se esforçar para anotar tudo, depois de algumas semanas fará o registro quase automaticamente.

Com o conhecimento a respeito de onde vai parar seu dinheiro todo mês, é hora de agir. Comece verificando quais gastos supérfluos você pode cortar imediatamente. Depois, não espere sobrar dinheiro para guardar, tente encaixar como despesa essencial, como se fosse um boleto, um valor para a reserva emergencial. O ideal é guardar pelo menos 10% do que ganha para só ser usado em caso de emergência. 

Qual a maneira correta de dividir o salário?

Dividir o salário assim que ele cai na conta é uma ótima maneira de manter as finanças pessoais sob controle. Deixe ao menos 30% para o seu eu do futuro, sendo parte para a reserva de emergência e parte para aplicações que serão usadas apenas no futuro distante.

Sendo assim, o seu eu do presente fica com 70% do salário para honrar as despesas mensais. Os gastos com imóveis, incluindo financiamento ou aluguel e condomínio, não devem ultrapassar 30% das receitas mensais. É sempre bom investir em aprendizado ao menos 5% dos ganhos. Separe também 10% para o lazer, assim você corre menos risco de desistir dos planos por não ter direito a nenhuma diversão enquanto economiza.   

Qual melhor aplicativo para finanças pessoais?

Existem muitas opções de aplicativos de finanças pessoais. A melhor opção sempre é aquela que você se adapta melhor já que as funções de todos são bastante parecidas. Confira algumas opções gratuitas disponíveis:

Guiabolso

O diferencial deste app é a possibilidade de fazer a sincronização automática com as contas do banco e os cartões de crédito, facilitando a gestão dos gastos. 

Mobills

Na versão gratuita, é possível fazer a sincronização uma vez ao dia e ter acesso a categorias de despesas e receitas. O app também permite a definição de metas e a criação de orçamentos para ajudar no controle das finanças pessoais. 

Organizze

O aplicativo oferece, entre outras funções, relatórios para facilitar a visualização dos gastos, com gráficos. Além disso, também é possível cadastrar alertas para o vencimento as contas, evitando o esquecimento.

Você gostou deste conteúdo?

Subscreva a nossa newsletter para receber aconselhamento financeiro todos os meses.