Como devem ser as finanças de um casal?

Enviado em sex, 12/04/2020 - 18:22
casamento

As finanças de um casal devem ser transparentes para as duas partes. Para evitar desavenças é essencial que haja muita conversa sobre o tema e que o orçamento doméstico seja bem administrado. 

O diálogo é o primeiro passo para definir como serão administradas as finanças. Uma dica é somar todas as despesas comuns para saber qual o custo de vida do casal. A partir desse valor, o casal pode dividir as despesas proporcionalmente, levando em conta a receita de cada um.  

Para administrar melhor esses pagamentos há duas opções: o casal pode abrir uma conta conjunta, na qual coloca os valores que serão usados para as despesas em comum da casa, ou cada um dos cônjuges fica responsável pelas contas que somam o valor que está sob sua responsabilidade. A melhor opção é a que funciona bem para os dois, por isso, mais uma vez, conversem. 

Como administrar as finanças de um casal?

Para administrar as finanças de um casal é necessário organização. Sorte do casal em que ao menos um dos dois cônjuges goste de contas e planilhas. Se não for seu caso, não tem problema. A administração das finanças pode ser feita por quem é mais organizado. De toda forma, os dois devem contribuir para que as informações estejam sempre atualizadas e nunca esconder dívidas um do outro.  

Uma planilha deve conter todos os gastos em conjunto e as receitas de cada um. É importante definir os planos em comum. Perguntem-se quais são os próximos projetos do casal: viajar ao exterior, trocar de casa, fazer uma boa reserva para poder tirar um ano sabático etc. O casal também precisa chegar num consenso sobre como serão feitos os investimentos de longo prazo e como será formada a reserva de emergência.   

Como dividir as despesas de um casal?

Cada casal vai encontrar a melhor maneira de fazer a divisão das despesas, mas a maneira mais justa de distribuir as contas de um casal é proporcionalmente, de acordo com a receita de cada um. Por exemplo, se um ganha R$ 2.000 e o outro R$ 3.000, o que ganha mais deve pagar 60% das despesas totais e o que ganha menos, 40%.

Para saber com quanto cada um deve contribuir para manter a casa some todos os gastos fixos e variáveis. Para contas que mudam mês a mês, como água, luz e alimentação, faça uma estimativa baseada em gastos anteriores. Com o valor total das despesas, multiplique pela porcentagem e calcule o que cabe a cada um.

É saudável para o casal que cada cônjuge possa manter alguns projetos individuais, portanto é melhor não comprometer toda a renda com despesas em comum para que cada um possa ter sua própria planilha de sonhos também.  

Dicas para organizar a vida financeira de um casal

As dicas para organizar a vida financeira de um casal valem para todo tamanho de família:

  • Conversem sobre finanças: é mais fácil quando os dois entram em um acordo sobre qual vai ser o destino do dinheiro que ganharam. Uma dica importante: não escondam dívidas um do outro.
  • Organizem-se: criem uma planilha com todos os gastos em comum. Não esqueça de acrescentar uma linha para a reserva de emergência, que pode ser de cerca de 10% da receita total, e outra para investimentos.
  • Dividam as despesas proporcionalmente: a ideia de que quem ganha mais paga mais dá uma sensação de justiça que pode ser mais saudável para o relacionamento. A longo prazo, em um casamento, pequenas desavenças viram problemas insolúveis. 
  • Sonhem juntos: façam planos sobre qual vai ser a próxima conquista em conjunto. Uma casa nova, uma viagem para conhecer um lugar diferente, uma TV para a sala… Não importa o tamanho do investimento necessário, mas ter os mesmos objetivos ajuda a manter o foco.

Você gostou deste conteúdo?

Subscreva a nossa newsletter para receber aconselhamento financeiro todos os meses.