Como sair das dívidas mais rápido?

Enviado em sex, 10/22/2021 - 00:00
Como sair das dívidas mais rápido?

O primeiro passo para sair das dívidas é fazer um bom inventário de tudo o que se deve para conhecer a real situação e saber o tamanho do problema. Faça a lista completa incluindo tudo o que já venceu e o que está para vencer nos próximos meses, com data de vencimento, valor a ser pago e taxa de juros e multas.

Com as informações em mãos, você pode tentar renegociar as dívidas, uma a uma. Comece pagando a que tem maiores juros. Você também pode tentar um empréstimo pessoal no valor total para ir pagando mês a mês o que deve. O mais indicado é fazer um consignado, que tem juros mais baixos e, em alguns casos, é liberado até para quem está negativado. 

Como pagar as dívidas com pouco dinheiro?

É possível conseguir pagar as dívidas, mesmo com pouco dinheiro. Uma dica é entrar em contato com o credor e explicar a situação. Se coloque à disposição para pagar, desde que haja uma condição que você consiga honrar a dívida. Se o credor estiver irredutível, tente um empréstimo com juros mais baixos em uma instituição financeira e troque uma dívida cara por outra mais barata. 

Como pagar as dívidas mais rápido? Para pagar as dívidas mais rapidamente, é preciso adiantar as parcelas e, assim, reduzir a incidência dos juros. Por exemplo, se você pegou um empréstimo de R$ 2 mil para ser pago em 2 anos com juros de 1,5% ao mês, ao final, terá de pagar R$ 2.859,01. Se você conseguir pagar tudo 6 meses antes, o total será de R$ 2.614,68, o que representa uma economia de R$ 244,33

Como pagar uma dívida mais rápido? Você consegue pagar uma dívida mais rapidamente se concentrar todo o dinheiro extra nesse propósito. A vantagem de adiantar os pagamentos é que, segundo o Código de Defesa do Consumidor, o credor é obrigado a oferecer os descontos proporcionais aos juros referentes aos meses em que a dívida foi adiantada. 

Como sair das dívidas, educação financeira?

O ensinamento básico de educação financeira para sair das dívidas é nunca gastar mais do que se ganha. Se você já se enrolou com as contas vencidas, é hora de se organizar, fazer um levantamento de tudo e começar colocando a conta no azul. 

Corte os gastos até equilibrá-los com os ganhos. Depois, veja qual dívida tem maior juro, tente negociá-la e pague. Em seguida, vá para a segunda mais cara e faça o mesmo. Até liquidar tudo. 

Como sair da dívida de cartão de crédito?

Se você se enrolou na dívida do cartão de crédito, o melhor a fazer é deixar de usá-lo por um tempo até conseguir zerar a fatura. Se for possível, negocie no seu banco um empréstimo pessoal e pague à vista o que deve ao cartão, ficando com as parcelas do empréstimo que costumam ter juros mais baixos. 

A Resolução 4.549/17, do Banco Central, determinou que o crédito rotativo só pode ser usado até a próxima fatura. Isso significa que, se pagar o mínimo em um mês, o cliente tem de pagar todo o saldo restante ou fazer o parcelamento desse saldo, com juros mais baixos que o rotativo, no mês seguinte. Embora não seja mais possível pagar o mínimo do cartão, o chamado crédito rotativo, por duas faturas seguidas, os juros do parcelamento do cartão continuam sendo bastante altos. 

Como sair do ciclo vicioso do cartão de crédito?

Para sair do ciclo vicioso do cartão de crédito, você precisa cortar seus gastos ao ponto de eles caberem no seu orçamento. Se tiver crédito no mercado, estude um empréstimo pessoal com taxa de juros menores e pague a totalidade da fatura. Enquanto não quitar tudo, evite usar o cartão de crédito novamente.  

Como sair da bola de neve do cartão de crédito?

Contar com o limite do cartão de crédito como se fosse parte do seu salário é o maior erro que alguém pode cometer quando se trata desse meio de pagamento e isso pode virar uma bola de neve. O único jeito para sair da bola de neve do cartão de crédito é deixá-lo sem uso até quitar o que deve.  

Quanto tempo leva para caducar a dívida de cartão de crédito?

A dívida do cartão de crédito leva 5 anos para caducar, mas isso não significa que ela deixa de existir. Passado esse prazo, o consumidor não pode mais ser cobrado judicialmente nem ter seu nome nos cadastros de restrição de crédito, mas a dívida em si continua existindo e o credor pode cobrá-la extrajudicialmente, por telefone ou carta, por exemplo.  

Mesmo que o CPF não esteja mais com restrições, a inadimplência segue no banco de dados do credor e isso pode dificultar o acesso do devedor a qualquer tipo de crédito.   

O que fazer quando se está muito endividado?

Comece listando todas as suas dívidas. Veja a taxa de juros e as multas de cada uma, além do valor e do credor. Tente negociar uma a uma e veja qual o menor valor que você pode chegar em cada uma delas. Some todas para ver quanto vai precisar para resolver seu problema. 

Em uma situação de superendividamento, provavelmente será impossível pagar tudo de uma vez. Tudo bem. Respire e comece pela dívida mais cara, ou seja, aquela que tem maiores taxas. 

Como sair de uma situação de endividamento excessivo? Para sair do superendividamento, você vai precisar encarar o problema de frente. Comece levantando todos os contratos vencidos e calcule quanto vai precisar. Se possível, peça a quantia total em um empréstimo pessoal e pague tudo de uma vez, ficando com as novas parcelas para pagar. 

Onde posso parcelar todas as minhas dívidas?

Você pode fazer um empréstimo só para pagar todas as suas dívidas pagando uma única parcela. Tente primeiro no banco onde você já tem um relacionamento, de preferência na instituição financeira pela qual recebe seu salário. No geral, o empréstimo pessoal mais vantajoso para quem é CLT e está com o nome negativado é o consignado.

Você gostou deste conteúdo?

Subscreva a nossa newsletter para receber aconselhamento financeiro todos os meses.