Alugar ou comprar?

Submitted by Andrés Gutierrez on qui, 09/19/2013 - 20:28

Quantas vezes já ouviu que ter casa própria é o grande sonho dos casais? Em 2009, o desemprego nos Estados Unidos atingiu o 10% e aquele grande sonho tornou-se pesadelo para quase três milhões de famílias nesse país, que atrasaram as prestações mensais das suas casas.

Isto acontece quando você compra uma casa sem ter as poupanças suficientes e sem ter pagado antecipadamente suas dívidas. Ademais, o risco de perder a casa aumenta drasticamente em momentos de doenças ou perda do emprego.

Alugar para ganhar

A maioria das pessoas não vê o positivo do fato de alugar. Eles acham que jogam fora seu dinheiro quando alugam. Na verdade, e para sermos bem claros, nem todos devem comprar uma casa apenas porque o pagamento da hipoteca seria o mesmo que o aluguel. Alugar evita custos escondidos, como consertos, manutenção, que facilmente poderiam representar mais uma despesa. Outra vantagem é que você pode se mudar mais facilmente caso modificarem suas condições ou circunstancias de trabalho. Como proprietário, você pode ficar amarrado a uma casa que não pode vender porque não tem valor por cima da dívida.

Compre sua casa numa boa

Logo após sentar e conversar com muitas famílias e tirar contas sobre o lucro ou prejuízo de cada um, e sabendo quem ganhou e quem perdeu, minha primeira recomendação é ter uma entrada de 100%; ou seja, compre em espécie a casa. Calma, não se assuste; se verdadeiramente acha que não é possível e não está disposto a esperar, compre em base de uma hipoteca, mas nas seguintes condições:

• Você está livre de dívidas e possui um fundo de emergência para gastos de 3 a 6 meses.

• Você economizou pelo menos uma entrada de 10% além do seu fundo de emergência. É melhor esperar um pouquinho e ter 20% da entrada para baixar os custos dos juros.

• Caso for recém-casado, espere pelo menos um ano antes de comprar a casa. Não adicione estresse ao matrimonio com a ideia da compra da casa e nunca, em tempo algum, compre uma casa com quem quer que não seja seu cônjuge.

• Caso não for comprar com dinheiro vivo e sim solicitando crédito hipotecário, não solicite uma por cima dos 15 anos e certifique-se que seja crédito de juro fixo, em que o pagamento não ultrapasse dos 25% do seu salário líquido mensal. O banco irá concluir se você qualifica para mais, mas recomendo não fazê-lo.

A ideia não é alugar a vida inteira e sim apenas um aluguel temporário enquanto vai se preparando para assumir um compromisso econômico tão forte; isso faz sentido. Assim, o sonho da casa própria será uma benção e não uma dor de cabeça.
---

Siga a Andrés no seu www.andresgutierrez.com e no Twitter: @elshowdeandres e Facebook.com/elshowdeandres

Comentários