Não Comece o Ano no Vermelho Outra Vez

Submitted by Aline Piologro on seg, 12/23/2013 - 15:44
Dívidas no cartão de crédito? Já não sabe mais o que fazer? Leia e saiba o que fazer. Aproveite para baixar a planilha que criamos para te ajudar a encontrar a solução.

Estamos às portas do novo ano e a pergunta é: Será que ainda dá tempo de fazer algo para não começar o ano no vermelho? Essa é uma pergunta muito delicada porque envolve alguns pontos importantes, e estes devem ser analisados com atenção. Antes de encontrar a resposta definitiva vamos fazer outras perguntas à sua vida financeira.
Respondendo a essas 4 perguntas você saberá se é possível, ou não, sair do vermelho antes de começar o ano:

  1. Qual o tamanho da minha dívida? É importante saber precisamente o valor total da sua dívida. Existem casos de pessoas que estão totalmente endividadas e nem mesmo sabem quanto e para quem devem. Sem essa informação ficará difícil se livrar desse problemão.

    O que fazer? Papel e caneta na mão... e mãos à obra! Anote o valor exato de cada uma das suas dívidas, considere juros e encargos, não se esqueça de anotar também a quem ou qual banco deve.

  2. Existe a possibilidade renegociar? Agora que você já sabe quanto e para quem deve, entenda que para tudo existe solução. Independente do tamanho da sua dívida se você se dispuser a exterminá-la, mesmo que demore um pouco, você pode!

    O que fazer? Elabore seu plano de ação, analise cada dívida e estipule prazos. Pense se existem outras alternativas, como por exemplo fazer um empréstimo pessoal para pagar tudo de uma vez. Mensure juros e prazos. Avalie suas possibilidades, não haja por desespero e atue dentro do que é possível.

  3. De quais gastos posso abrir mão? São os gastos mais “insignificantes” que geram os maiores desastres. Podemos chamá-los de “gastos cupins”, são pequenos, aparentemente inofensivos, mas fazem um estrago grande e colocam em risco as estruturas das suas finanças.

    O que fazer? Veja se existem gastos desnecessários no seu dia a dia. Faça uma lista de todos os gastos das últimas duas semanas, marque cada centavo, depois sublinhe todos os supérfluos. Você se surpreenderá! Sem controle absoluto será difícil conseguir bons resultados.

  4. O que gerou esse problema? As maiores dívidas são normalmente por uma soma de fatores, é a boa e velha “bola de neve”. É mais ou menos assim: você não tem dinheiro poupado, aí ocorre uma emergência, acaba gastando o que não tem (cartão de crédito, cheque especial), percebe que as despesas básicas continuam, paga uma conta e deixa outra, recorre a outra linha de crédito... Parece não ter fim!

    O que fazer? Descubra se o que começou o problema era algo realmente urgente. E quando entender o real motivo você saberá o que deve ser feito daqui pra frente.

    Pensar, analisar e avaliar é sempre o melhor a se fazer antes de qualquer situação. Existem momentos que não dá tempo de parar pra pensar, mas no que diz respeito a dinheiro se você tiver uma reserva para emergências poderá diminuir o desespero.

    Outro ano vai começar e o seu futuro financeiro depende só de você! Criamos uma planilha simples para você começar sua estratégia.

Comentários