Como fazer a reserva de emergência?

Enviado em sex, 02/12/2021 - 13:01
Como fazer a reserva de emergência?

Uma boa maneira de ter sucesso na construção da reserva de emergência é criar um boleto imaginário para ela. Todo mês, quando entrar seu dinheiro na conta, já retire a porcentagem equivalente ao que você vai destinar à reserva de emergência. Deixar para poupar apenas quando sobrar é a maior armadilha que alguém pode cair. 

Depois de organizar as contas com uma planilha, onde são registradas todas as receitas e as despesas, decida qual a porcentagem você vai destinar para o seu eu do futuro. O mais indicado é colocar, pelo menos, 10% para a reserva de emergência e outros 20% para uma  reserva de longo prazo, como um projeto de aposentadoria.

Como criar um fundo de reserva?

Para criar um fundo de reserva você precisa destinar, todo mês, uma porcentagem de seus ganhos para esse fundo. Estabeleça um valor mínimo para guardar todo mês pelo menos até que sua reserva esteja com um valor considerável. 

Onde guardar o dinheiro da reserva de emergência?

A reserva de emergência precisa estar em um investimento com liquidez diária, ou seja, você precisa ter acesso a esse dinheiro imediatamente quando precisar. A poupança já foi um bom lugar para deixar a reserva justamente pela facilidade de resgatar o dinheiro, mas, com a taxa Selic em sua mínima histórica, essa modalidade está rendendo menos do que a inflação.

O ideal é deixar em algum investimento de renda fixa com liquidez diária e que gere mais do que a poupança, como um CDB ou uma LCI.  

Quanto dinheiro um empreendedor deve deixar na sua reserva de emergência?

Para um empreendedor, que não tem acesso à indenização trabalhista caso seu negócio pare de gerar renda, a reserva de emergência deve ser equivalente a de 12 a 18 vezes suas despesas básicas mensais. Isso significa que ele conseguiria se manter por até 1,5 ano, até que conseguisse uma nova fonte de renda.  

Como calcular minha reserva de emergência?

Para calcular a sua reserva de emergência, primeiro você deve calcular suas despesas básicas. Liste tudo o que você não pode deixar de pagar de jeito nenhum: financiamento, água, luz, telefone, alimentação etc. O valor dessa soma corresponde a suas despesas básicas. Agora é só multiplicá-la pelo número de meses que sua situação pede. 

O cálculo da reserva de emergência é variável. Em linhas gerais, se você é autônomo, é melhor ter uma reserva equivalente a de 12 a 18 meses de suas despesas básicas. Se você é funcionário público ou no regime de CLT, essa poupança pode ser de 6 a 12 meses.

O que fazer com a reserva de emergência?

Como o próprio nome diz, a reserva de emergência é para ser usada em uma emergência. Ela serve para você se manter em caso de desemprego, para pagar um conserto do carro que não estava previsto ou fazer uma manutenção de urgência na casa. 

O importante é sempre repor a reserva de emergência assim que possível. Deixe esse dinheiro em um investimento que possa ser resgatado imediatamente, quando necessário, mas que renda algo perto da inflação.

Você gostou deste conteúdo?

Subscreva a nossa newsletter para receber aconselhamento financeiro todos os meses.