Quais são os problemas financeiros?

Enviado em sex, 10/22/2021 - 00:00
Quais são os problemas financeiros?

Os problemas financeiros são quaisquer dificuldades ligadas a dinheiro, como dívida no banco, cartão de crédito sempre no rotativo, boletos vencidos e contas sem pagar. 

De acordo com o estudo Mapa da Inadimplência no Brasil, da Serasa, feito em agosto de 2021, as maiores causas de endividamento dos brasileiros são banco/cartão, utilities (água, luz, gás etc.) e varejo. 

Você já deve ter ouvido o ditado: dinheiro não é o problema, você é . A expressão serve para dizer que os problemas financeiros não são causados pelo dinheiro em si, mas pela maneira como você lida com ele. As dificuldades aparecem, na verdade, quando não se tem um bom controle e se gasta mais do que se ganha. 

O que significa dificuldade financeira? Dificuldade financeira significa você não ter dinheiro suficiente para pagar todas as suas despesas e ir acumulando dívidas. Um levantamento da Serasa mostrou que, em agosto de 2021, o número de pessoas inadimplentes era de 62,24 milhões no país.  

O que fazer para resolver problemas financeiros?

Para resolver os problemas financeiros, você precisa se organizar e encarar o obstáculo de frente. Comece listando todas as suas dívidas vencidas e as contas que são recorrentes, como água, luz, telefone, alimentação etc.. Em outra folha, coloque seus ganhos. Ao comparar essas 2 listas, você vai ter uma ideia do tamanho do problema. 

Se você ganha menos do que gasta, faça cortes onde puder. Lembre-se de revisar os contratos de serviços. Às vezes, você está pagando algum serviço que não usa. Também vale a pena fazer uma limpeza nos armários para ver se não é possível fazer um dinheiro extra com objetos e roupas que estão parados.  

Quais os maiores problemas financeiros?

Segundo o Mapa da Inadimplência da Serasa, dívidas com bancos e cartões de crédito, seguidas pelas contas fixas e pelos gastos no varejo são os maiores problemas financeiros dos brasileiros. 

O cartão de crédito muitas vezes é visto como vilão porque, quando o cliente não paga a fatura total, os juros são altíssimos. O segredo é usá-lo a seu favor, gastando apenas o valor que poderá pagar no próximo vencimento, sem precisar parcelar a juros. Para ter esse controle, você pode entrar em contato com o emissor do cartão e pedir para reduzir o limite até onde você possa pagar de uma vez.    

Quais são os problemas que as famílias enfrentam quando não tem uma boa educação financeira?

Não ter educação financeira faz as pessoas terem mais dificuldade em administrar o próprio dinheiro. Usar o crédito sem saber se vai ser possível pagá-lo na data programada pode fazer a família cair em uma bola de neve de dívidas. 

A educação financeira ajuda a reconhecer quais as melhores oportunidades para usar seu dinheiro de forma consciente e a seu favor. Sem saber lidar com as finanças, as famílias podem enfrentar desentendimentos, brigas e até passar necessidade. 

Qual o problema da educação financeira?

O problema da educação financeira é que ela ainda está restrita a uma parcela muito pequena da população brasileira. Esse não é um conteúdo que se aprende na escola e, mesmo com a internet oferecendo várias oportunidades de aprendizado, muita gente ainda não tem acesso ao conhecimento básico sobre como lidar com o próprio dinheiro. Sem saber organizar os ganhos e os gastos, a pessoa pode acabar se endividando e se tornando inadimplente. 

Quais são as principais dificuldades para gerenciar os recursos financeiros?

A falta de organização e de planejamento costumam ser as principais dificuldades encontradas por quem não consegue gerenciar seus próprios recursos financeiros. Na teoria, é bastante simples. Você só pode gastar o que já ganhou ou, no caso de empréstimos, assumir parcelas que cabem no orçamento. 

O que pode ser feito para evitar complicações financeiras, além de não gastar?

Para evitar complicações financeiras, seja precavido. O ideal é ter uma reserva para emergências que cubra de 6 meses a 2 anos de seus custos fixos. Assim, em caso de desemprego ou de qualquer gasto que estava fora do esperado aparecer, você tem de onde tirar o dinheiro e não precisa entrar em dívidas para pagar com juros.  

Também é importante não emprestar seu cartão de crédito para amigos e parentes, que podem não pagar, ou entrar como fiador de pessoas que estão em dificuldade financeira.  

Quantas pessoas no Brasil têm problemas financeiros?

De acordo com o levantamento Mapa da Inadimplência, realizado em agosto de 2021, pela Serasa, são 62,24 milhões com dívidas no país. São considerados inadimplentes as pessoas que estão com dívidas vencidas em aberto. 

Quais as principais dificuldades encontradas na administração do caixa? Entre as principais dificuldades encontradas para administrar o caixa de suas finanças pessoais estão manter o saldo positivo e controlar todos os gastos, mesmo os menores como um cafezinho no fim do dia ou um sorvete no final de semana. 

É comum as pessoas esquecerem de colocar na lista de gastos aqueles valores menores. O problema é que, de cafezinho em cafezinho, você pode gastar mais de R$ 150 por mês sem nem se dar conta. Valor que garantiria o gás da família, por exemplo. 

Quais são as consequências de uma má gestão dos recursos financeiros pessoais?

Uma má gestão dos recursos financeiros pessoais pode ter como consequências o endividamento e o estresse. Quem consegue gerir bem seus recursos, tem espaço para negociação e não precisa se preocupar quando as contas chegam. O pagamento à vista sempre é mais vantajoso e, com muita frequência, garante descontos. 

Quais os erros mais comuns na gestão financeira e como não cometer esses erros?

Os erros mais comuns na gestão financeira são não se planejar e não estar preparado para os imprevistos. Para não cometer esses erros é preciso ter disciplina e organização. 

A primeira dica é anotar todos os gastos e ganhos. Lembre-se também de, antes de fazer qualquer compra, perguntar a si mesmo se é realmente necessário investir naquilo ou se você só está fazendo uma compra por impulso. Quando decidir que precisa de algo, faça uma boa pesquisa para garantir o menor preço e só compre depois de alguns dias para ter certeza de que quer.  

Também é importante, todo mês, pagar um boleto para seu eu do futuro, no valor de 10% a 30% de sua receita em um investimento. Parte desse dinheiro pode ficar investido em algo que só posso ser resgatado na sua aposentadoria, mas é bom deixar a reserva de emergência em algum ativo com liquidez, ou seja, onde possa ser resgatado quando necessário.

Você gostou deste conteúdo?

Subscreva a nossa newsletter para receber aconselhamento financeiro todos os meses.