O que é o Tesouro Direto e como funciona?

Enviado em seg, 01/17/2022 - 04:26
O que é o Tesouro Direto e como funciona?

O que são os títulos do Tesouro?

O Tesouro Direto se tornou popular e tem sido um dos investimentos mais aplicados, já que a poupança não está com boa rentabilidade. Logo, o Tesouro Direto ganhou espaço no mercado por ser um investimento acessível. Ele foi feito pelo Tesouro Nacional junto à Bolsa de Valores, e se trata de investir em títulos públicos, uma espécie de empréstimo ao governo, e que em troca você recebe uma porcentagem de juros. 

Os títulos públicos são um instrumento de equilíbrio fiscal e servem para geração de recursos junto à sociedade e o principal objetivo é financiar as despesas públicas.

Assim, essa aplicação é vantajosa tanto para o investidor quanto para o governo, pois é possível utilizar os valores para a gestão, com o direcionamento para as áreas da saúde, educação, segurança, etc.

Quais as características de cada título disponível no Tesouro Direto?

Há três grupos de títulos públicos à venda no Tesouro Direto: prefixados, pós-fixados e híbridos. Nos prefixados, no momento da compra você sabe exatamente quanto vai receber de retorno, desde que faça o resgate apenas no vencimento do título.

O pós-fixado é o Tesouro Selic que remunera sempre exatamente a Selic, sem adicional. E o título híbrido é o Tesouro Direto IPCA com juros semestrais, você receberá uma parte já acordada e outra parte que te protege da inflação. Porém, a diferença nesse caso é que você receberá juros semestrais, onde será pago o proporcional de remuneração combinada.

Quais os juros do Tesouro Direto hoje?

Os juros do Tesouro Direto variam conforme as características dos títulos públicos: prefixados, pós-fixados e híbridos.

Qual é o melhor título do Tesouro Direto?

Essa é uma dúvida recorrente entre os iniciantes que desejam investir seu dinheiro no Tesouro Direto. O melhor título do Tesouro Direto é aquele que seja compatível com o tempo que você pretende manter a aplicação rendendo. Há títulos de curto, médio e longo prazo. 

Qual é o valor mínimo para investir no Tesouro Direto?

O valor mínimo para aplicar no Tesouro Direto é de R$ 30,00. Porém, antes de iniciar os investimentos, é interessante que tenha um bom planejamento financeiro e uma reserva de emergência.

O Tesouro Direto é um ótimo investimento para quem está iniciando nesse mercado e com poucos valores disponíveis. Claro que você não vai fazer fortuna de um dia para outro, entretanto, é uma boa opção para começar a investir com inteligência e desenvolver a educação financeira.

Para começar a investir no Tesouro Direto basta ser pessoa física, maior de idade e procurar o seu banco ou uma corretora de investimentos para realizar o cadastro.

Quais os títulos do Tesouro Direto?

São três grupos de títulos públicos à venda no Tesouro Direto: prefixados, pós-fixados e híbridos. 

Qual o melhor título público para investir no momento?

Para o investidor iniciante, uma sugestão é investir em título de curto prazo, de até 3 anos ou sem data definida, que é o Tesouro Selic – por ser um título pós-fixado, conservador e que pode ser resgatado em qualquer dia com a rendimento acumulado.

Quando são pagos os juros semestrais do Tesouro Direto?

Os títulos do Tesouro Direto com juros semestrais pagam, a cada seis meses, o rendimento proporcional ao valor e ao período da aplicação. Também chamado de cupom semestral, esse rendimento é calculado de acordo com a taxa de juros contratada no momento da compra do título.

Qual a melhor instituição financeira para investir no Tesouro Direto?

Para se tornar um investidor no Tesouro Direto, a primeira coisa que precisa fazer é escolher uma corretora habilitada para mediar essa operação. A melhor corretora para investir no Tesouro Direto é aquela que trabalha com transparência. Sempre antes de fechar um contrato com uma corretora, verifique se a empresa está cadastrada no Banco Central.    

O que quer dizer o vencimento do Tesouro Direto?

É a data em que os investidores do Tesouro Direto vão receber o vencimento de um de seus investimentos: um título de Tesouro Prefixado. Após o vencimento, o produto é resgatado e há a incidência de tributação. Neste momento a aplicação poderá ser feita em outro título (embora de mesmo nome a depender do caso), mas certamente com outra data de vencimento.

Você gostou deste conteúdo?

Subscreva a nossa newsletter para receber aconselhamento financeiro todos os meses.