Blog de Dicas

“Tenho em mim todos os sonhos do mundo”. Esta frase foi escrita pelo poeta Fernando Pessoa e representa algo comum a quase todas as pessoas. Ao longo de uma vida, muitos são os sonhos imaginados, mas poucos são aqueles realizados. Para mudar essa realidade, entra em cena o planejamento financeiro. É muito bom sonhar algo, mas melhor ainda é a sua realização.

Os economistas do SPC Brasil afirmam que estar com o CPF negativado traz uma série de dificuldades na vida particular e profissional, como estar impedido de comprar em parcelas ou abrir contas em banco, enfrentar obstáculos na hora de financiar um carro ou uma casa e até mesmo conseguir um espaço no mercado de trabalho.

De uns anos para cá, ter TV por Assinatura tem se tornado cada vez mais comum. Me lembro que há uns 15 anos era uma questão de poder aquisitivo, ou seja, quem tinha um plano de TV por Assinatura era rico. Hoje o que vemos é que esse serviço está mais acessível e o numero de opções também cresceu muito.

A maioria das pessoas que se encontram endividadas tem muita dificuldade de encontrar uma saída para este grande problema. Não parece haver uma luz no fim do túnel. E acontece uma coisa ainda pior: tudo o que fazem acaba por agravar ainda mais a situação. O buraco vai ficando cada vez maior! Onde está o erro? Está na falta de planejamento.

Recentemente estive trabalhando em um workshop de finanças pessoais, onde obtive vários resultados (bons e ruins). Primeiramente, vejo um avanço na filosofia de pequenas empresas que investem no desenvolvimento do conhecimento em finanças pessoais, ajudando seus funcionários e familiares a poder fazer muito mais do que gastar tudo o que ganham.

Organizar as finanças é tarefa essencial para quem quer ter uma vida tranquila e pagar as contas em dia. A organização é um dos primeiros passos para evitar problemas, nome sujo, multas e juros abusivos. Pensando nisso, usar o débito automático pode ser uma ótima alternativa.

Comprar a casa própria e o carro novo geralmente faz parte dos objetivos das famílias. Quando não dá para comprar à vista, o financiamento e o consórcio costumam ser as opções mais usadas para adquirir os sonhos de consumo. Em meio a tantas ofertas estampadas em jornais ou apresentadas em propagandas de rádio e TV, o consumidor precisa decidir por qual método de crédito optar.

As pesquisas mostram o aumento nos últimos anos dos casais em que ambos os parceiros trabalham fora. E qual a forma mais indicada para se combinar o que um ganha com que o outro ganha e assim se fazer frente às despesas do lar? Não existe uma resposta fixa para esta questão. Cada casal pode encontrar a sua resposta.

De acordo com os especialistas do Meu Bolso Feliz, a maneira ideal de se comprar um bem é fazer um planejamento a longo prazo, aplicar o dinheiro aos pouquinhos em um investimento e, ao final, comprar o bem à vista, podendo até barganhar um bom desconto no pagamento.

Depois de um estudo o portal Meu Bolso Feliz constatou que mais da metade dos brasileiros tem o hábito de pagar apenas o valor mínimo da fatura do cartão e mais: 83% dos consumidores usam essa modalidade de pagamento na hora de parcelar uma compra, sendo que quase um quarto dos consumidores ouvidos costuma fazer compras parceladas com o cartão ao meno